segunda-feira, janeiro 16, 2012

Ai se eu te pego, carros barulhentos e o funk


Ultimamente tenho demorado para pegar no sono, mas não é por conta de insônia ou coisa parecida. É por causa do barulho de alguns infelizes que insistem em dirigir o carro com um som dos diabos, numa altura que chega a tremer a janela quando o maldito carro passa em frente de casa tocando funk (não o original, mas aquelas músicas ridículas cheia de palavrões e refrões repetitivos). Pensava que a música “Ai se eu te pego” do tal Michel Teló, fosse chata, devido ao som repetitivo, mas depois que o maldito motorista passa em frente a minha casa todos os dias das 23h30 até as 2h da manhã tocando o Mc Buiu, Mc Catraca, Mc K9, entre outros culpados que se dizem MCs e por produzir algo tão irritante, chego a conclusão que “Ai se te eu te pego” é um mantra.
Não quero ser preconceituoso contra este funk brasileiro, pois tem muitas músicas interessantes, mas a falta de cultura e de conhecimento por parte destes novos produtores musicais, faz com que a qualidade do estilo caia. E, por incrível que pareça, por conta disso, faz mais sucesso nas classes ditas “sabias” na A, B, C, D, E, F, G... Faz sucesso no alfabeto inteiro esta coisa de funk cheia de palavrões.
As músicas como todos sabem, é baixaria pura, e invadem a periferia à noite e para piorar, a moda agora é gastar horrores em equipamento de som , para depois desfilar o veículo com o som ligado no talo. Palavrões, xingamentos, refrões repetitivos simulando relações sexuais... Tem de tudo nas músicas.
É um cenário dantesco! Nos finais de semana os carros ficam de 50 a 50 metros, um veículo com o som ligado e em volta um bandos de adolescentes que não cantam “Ai se eu te pego”, que é uma coisa típica de televisão e da “cultura burguesa”, mas ficam dançando funk nas ruas, simulando relações sexuais e não ficam no imaginário de pegar alguém, pois eles já vão direto “aos finalmentes”.
“Ai se eu te pego” de Teló já não é mais música, é um mantra acompanhado de uma coreografia ridícula. Aquela coisa que não é para ouvir, é para dançar; tirar sarro, zoar com os amigos, ela se popularizou tanto, que virou gíria, entre outras coisas...
Ontem, dia 15 de Janeiro, após ouvir o mantra em versão inglês, fui para o quarto igual a um zumbi, completamente hipnotizado com a letra “wow if i catch you... Delicius...” O carro do funk passou com toda a sua postura sonora e eu peguei no sono com as palavras: “wow if i catch you”, e com os olhos fechados completava com uma coreografia imaginária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário