quinta-feira, março 28, 2013

Contra Feliciano ou a favor da PLC 122?


Quando o deputado Marcos Feliciano (PSC) foi eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos no mês passado, criou-se um “celeuma” em torno deste nome. O deputado foi e ainda está sendo acusado de racismo e de homofóbico por se posicionar “contra” o homossexualismo. Esta mesma comissão foi recusada pelo PT e dos demais partidos de sustentação do governo e, agora, devido às manifestações, esta “Mesa” torna-se uma das mais importantes do momento.
Estas manifestações não acontecem pelo nome de Feliciano, há algo mais importante em jogo, que é a PLC 122, que está parada nesta comissão desde 2006. Trata-se do projeto que criminaliza a “homofobia” e a iguala ao racismo. E quem preside a Mesa desta Comissão tem o poder de arquivar ou não, e ele, Feliciano pode deixar parada esta PLC. Por isso, é alvo de manifestações dos ativistas, mas não pelo seu posicionamento em si.
Para Feliciano, o homossexualismo é “opção sexual”, ou seja, comportamental, e diz claramente ser contra, e, isto em rede de televisão. Segundo ele, caso esta lei seja aprovada e se iguale ao racismo, pronunciar-se contra a homossexualidade, seria crime, como já acontece em casos de crime racial. “É antidemocrático. Cada um deve expressar seus pensamentos, é democracia”, diz ele em uma de suas “pregações”. Por ter este posicionamento, é acusado de homofóbico.
Em relação aos negros, a teoria do deputado evangélico, é que os ancestrais que povoaram a Etiópia, na África, são descendentes de um neto amaldiçoado de Noé chamado Canaã e esse seria o motivo das doenças e da miséria naquele continente, que originou a raça negra. Ao ser recriminado por internautas, Feliciano justificou: “Africanos descendem de ancestral amaldiçoado por Noé. Isso é fato. O motivo da maldição é a polêmica. Não sejam irresponsáveis twitters”.Isso foi o cúmulo e prova o desconhecimento bíblico do deputado. Depois nas redes sociais afirmou que “A podridão dos sentimentos dos homoafetivos levam (sic) ao ódio, ao crime, à rejeição. Amamos os homossexuais, mas abominamos suas práticas promíscuas”, disparou.
Feliciano colocou-se no paredão por estas duas situações e acabou sendo contestado também por parte dos evangélicos.
Protestos e homofobia - Nos últimos dias, Feliciano ganhou força. Isto por conta do “ativismo gay”. Após afirmar que não renunciaria, o deputado foi ameaçado, assim como sua família. A briga engrossou ainda mais quando um vídeo de um ativista do Movimento LGBT, Marcio Retamero, que se intitula pastor, chama de “desgraçados” e de “fundamentalistas religiosos” os políticos que defendem a família e a fé cristã, no vídeo ele fala que pegaria em armas para defender sua causa. Esta apologia à violência e desrespeito às liberdades de expressão e religiosa ocorreram durante um seminário LGBT, no Congresso Nacional, em Brasília, evento comandado pelo deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), ou seja, poderíamos até chamar este caso de homofobia destes ativistas.
Nunca, antes na história, o povo foi às ruas para defender uma comissão. Aliás, ninguém frequenta as reuniões das comissões nas Assembleias Legislativas do país. Na quarta-feira ele mandou prender um manifestante que atrapalhou o andamento da reunião e ainda o chamou de nazista entre outros palavrões, e foi, capa de vários jornais do país por tal atitude, que, em outras palavras é bem pior que a PLC 122. O posicionamento de Feliciano nesta comissão é claro, impedir que a PLC 122 seja votada, e tem apoio de todos os cristãos (evangélicos e parte da igreja católica). Mesmo sem se manifestar sobre o caso, a igreja católica acompanha o debate de longe, mesmo porque, segundo a matéria publicada na Folha de São Paulo desta quarta-feira, afirma que a maioria dos católicos brasileiros é “liberal”, por conta disto, silêncio absoluto.
Particularmente, sou contra a PLC 122 – Feliciano não me representa, mas neste caso, vou ter que repensar meu posicionamento, como muitas pessoas.
Sérgio Pires

quarta-feira, março 06, 2013

Conversinha



(poderia chamar este diálogo que testemunhei dentro de um ônibus de: “microconto”?)

Você viu a Maria Tereza ontem menina? Vi não. Ela pegou o das 7h30, ontem saí mais cedo. Você sabia que ela trocou de emprego? Sabe onde tá agora? Onde? Lá na loja do Itaim. Que bom, né? Ela sempre queria sair de Santo Amaro, né? Depois que largou daquele encosto? Ela ainda estava com ele? Ih não! Tem gente que não sabe dar valor. Ela tinha deixado o Carlos. Aquele moreno que tinha um filho com aquela loira oxigenada? A própria. É verdade. Ele sim é um pedaço. Todo educado, agora trabalha lá no Plaza Sul. O que ele faz? Sei não. A Claudia disse que ele é chefe de cozinha de um restaurante. Mas me conta da Maria Tereza! Você sabe o que ela me disse? O quê? Ela tá desconfiada. De quê menina? Atrasou. Ih! Será? Acho que a danada tá grávida. Nossa!
O diálogo continuou, porém tive que descer do ônibus. Foi isso que ouvi

sexta-feira, março 01, 2013

Sócrates, Lula, Suplicy e Marta

Uma imagem histórica, possívelmente em 1984 ou 1985 provavelmente na época da Democracia Corintiana, que foi um marco no futebol. Foi algo histórico como o Corinthians atuou e mostrou a cara, contra o sistema político vigente naquela época. Hoje, se o Dr. Sócrates estivesse vivo, não sei se estaria apoiando a política atual. Mas uma coisa é certa, contra o PT acho que não estaria também. Mas a imagem é realmente histórica e também agradável pelos sorrisos de todos.

Olhares cônicos a açucarados


Sabe quando você sai com amigos para almoçar e na mesa além dos alimentos tem um bom papo, boas lembranças, bons comentários? Pois é depois dos prazeres (in)saciáveis da alimentação, eis que chega a hora de aguardar o garçon trazer a conta e nesta hora, eis que surpreendo a todos e, ao invés de pedir o tradicional cafezinho, resolvi exagerar. Pedi um sorvete. Mas não era um simples sorvetinho. Era o SORVETE. Todos ficaram encantados com o danado que derretia deliciosamente. E os olhares ficaram açucarados.

O Retorno


Há tanto tempo escrevendo e rascunhando este espaço e por isso, torna-se difícil abandoná-lo. Pensei em desistir e abandonar tudo... Tentei mudar lá pro “Verbo Digital” da “wordpress” e descobri que existem milhares de blogs com este nome. Então mudei, criei o sergiospires.com, e também o http://serpires.wordpress.com/, depois criei ainda um outro e virou uma bagunça danada. Então resolvi voltar ao Armário Mecânico, mas em breve as configurações deste blog será padronizado assim como os textos que terão um padrão de tamanho, para que, no mínimo fique agradável.