terça-feira, abril 24, 2012

Clandestino



Solo voy con mi pena
Sola va mi condena
Correr es mi destino
Para burlar la ley
Perdido en el corazon
De la grande Babylon
Me dicen el clandestino
Por no llevar papel

Por una ciudad del norte
Yo me fui a trabajar
Mi vida la deje
Entre Ceuta y Gibraltar
Soy una raya en el mar
Fantasma en la ciudad
Mi vida va prohibida
Dice la autoridad

Solo voy con mi pena
Sola va mi condena
Correr es mi destino
Por no llevar papel
Perdido en el corazon
De la grande Babylon
Me dicen el clandestino
Yo soy el quiebra ley

Mano Negra clandestina
Peruano clandestino
Africano clandestino
Marijuana illegal

Solo voy con mi pena
Sola va mi condena
Correr es mi destino
Para burlar la ley
Perdido en el corazon
De la grande Babylon
Me dicen el clandestino
Por no llevar papel

Argelino, Clandestino!
Nigeriano, Clandestino!
Boliviano, Clandestino!
Mano Negra, Ilegal!

segunda-feira, abril 23, 2012

A Cidade da Luz... Seus temperos e sua cultura


Louvre

Paris é uma cidade maravilhosa... Cheia de novidades a cada esquina, desde os seus monumentos, museus, restaurantes, bistrôs, cafés... Tudo é mágico e inspirador. Visitei alguns dos principais pontos turísticos: Torre Eifel, Arco do Triunfo, Notre-Dame, Igreja de Sacré Coeur, Versalles, Louvre, Rio Sena... Tudo isso com calma em apenas sete dias. Foi pouco. A principal magia estava nas ruas, nas feiras, nos mercados... Foi um choque cultural imenso.
Notre Dame
Monalisa ao fundo e todos os visitantes do Louvre tentam se aproximar para observar e tirar fotos.

Em frente a entrada do Versalles


Cafés e bistrôs – Como o povo lê. E como eles conseguem ser tão magros e comendo tanto e, comida boa, de primeira, talvez o segredo esteja no vinho que eles bebem, pois, eles bebem muito, e muito mesmo. Em cada quarteirão presenciamos pelo menos uns cinco bistrôs, restaurantes.

E seus cigarros... Quem assistiu ao filme “A Primeira noite de um homem”, jamais esquece da cena do beijo de Mr. Robison, a bela Anne Bancroft, quando solta toda a fumaça do cigarro no rosto de Dustin Hoffman, que interpretava aquele personagem bem apático, chamado Bem. A cena é clássica e quem não viu, deveria alugar o filme em uma locadora urgente só por conta desta cena, que mostra o cigarro como parte do dia a dia das pessoas.
Bikes públicas

Ainda não havia as propagandas do “politicamente correto”, ainda se fazia propagadas de cigarros no rádio, televisões, revistas... Os fumantes eram pessoas normais e até eram vistas com charme.

Aquela cena seria impossível pelos novos padrões, mas tudo isso, estou dizendo que, nos cafés e bistrôs da França se fuma. E muito. Não que não haja leis que proíba, são iguais as do Brasil, porém, estes locais respeitam os fumantes e todos, ou quase todos, possuem uma área de fumantes.

O metrô é velho, porém eficiente; as bicicletas fazem parte do sistema de transporte público e em cada bairro possuem certos “bolsões” de bicicletas, onde todos que possuem um cadastro na prefeitura podem retirar uma bike em qualquer um destes “bolsões”...

À noite, as luzes claream uma cidade que nunca se apaga, que não dorme, e que tem um charme todo especial... E viva La France!