sábado, julho 21, 2007

As sete maravilhas do trash food do centro de São Paulo

Bom, depois de ser anunciado as sete maravilhas do mundo, com certeza vai virar modo começar a ditar as "maravilhas dos sete". Isso por que já foi anúnciado que em breve será anunciado as "sete maravilhas das belezas naturais do mundo", depois inventarão outras "sete maravilhas qualquer". Antecipando a isso, resolvi eleger as "Sete Maravilhas do Trash Food do Centrão"... Hehehe...
Comi tudo isso em um espaço de três horas (o colesterol foi para as 'cucuias', como diria minha avó).
1) Churrasquinho grego da Avenida São João, e gratis um suquinho de uva e vem com umas abelhas de brinde (rsrsr).
2) Queijo coalho na rua 25 de Março... Hummm...
3) Espetinho de camarão em frente ao Shopping 25 de Março... Yhé!

4) Empatados e respectivamente o quarto e quinto são: o sanduiche de Mota(n)dela e de calabresa do Mercadão (O pastel de bacalhau é coisa chique, não merece estar nesta lista né!).
6) Para sobremesa um milho cozido na Avenida Ipiranga.
7) Finalmente... Para fazer digestão... Uma água de coco, pois ninguém é de ferro né!

Rua 25 de março ao som de Tina Charles...

Parece inacreditável, mas é verdade! Hoje (21) sábado estava na Rua 25 de março em pleno centro de São Paulo e, para minha surpresa todos os camelôs que vendiam CDs piratas... Ops! Quer dizer, "genéricos" tocavam a musa dos anos 70: Tina Charles.
Foi até divertido enfrentar um mar de gente ao som de "I'm on fire", "I love to love" e "Dance little lady". A cada esquina a galera ia ouvindo e dançando... Divertido!

terça-feira, julho 17, 2007

Luto.... O ouro virou cinzas...


Em um dia feliz para o Brasil no Panamericano, com medalha de ouro na natação, ginástica... À noite a triste notícia da queda do avião da TAM com 176 passageiros, fora 12 mortos no solo, já confirmados por Serra. Não há palavras para expressar esta tristeza...

sábado, julho 14, 2007

32 dentes e boca vazia

“Não acredito em ninguém; não acredito em ninguém com mais de 30; não acredito em ninguém com 32 dentes". É interessantes esta relação bucal, já relatada em uma música dos Titãs, com a nossa vida cotidiana. Principalmente quando vemos os escândalos na política, argh!
A boca é a parte do corpo mais importante, pois é por ela que nos alimentamos, mastigando os preciosos alimentos, através de nossos maravilhosos dentes, incisivos, pré-molares, caninos e os sisos (se adulto). Mas, a dança canibalesca dentro da boca é inabalável com as palavras, pois é por aí que saem os sons, as informações mais inteligentes ou torpes através da nossa língua.
Mas é absurdo como testemunhamos o péssimo uso da boca. Tanto para se comunicar ou para alimentação. Estudos mostram que a população brasileira está ficando cada vez mais obesa, por conta dos enlatados e dos fast food proliferados pelo país, ou ainda pessoas que não têm o que por na boca. E as conversas saudáveis que existiam nas praças, nos cafés, nos bares estão desaparecendo ou sendo trocados pelas fofocas, ou conversas que não levam a lugar nenhum, a não ser um assunto em moda: corrupção.
Ultimamente estamos vendo bocas vazias tanto de comida quanto de conteúdo. Ao ligarmos a televisão assistimos programas vazios. Ao assistir ao vivo na televisão depoimentos de pessoas envolvidas em casos de corrupções, continuamos a testemunhar as bocas vazias.
Como diz o poeta Manoel de Barros, que brinca com as preposições, "ninguém leva isso de sério", pois na verdade as bocas nada mais são que instrumentos individuais de comer.

Pan pan pan pan!

Não é preciso fazer qualquer tipo de comentários sobre o Pan. Há vários por aí, a toda hora e a cada instante. Mas uma coisa podemos observar na televisão. Acabou o confronto entre os traficantes e a polícia do Rio... É, não há mais assalto; ninguém mais morre de bala perdida no Rio e, por aí vai. Quem agradece é o Sr. Renan Calheiros e viva o Pan!

terça-feira, julho 10, 2007

Eleição das sete maravilhas foi uma farsa

Um jornal espanhol publicou ontem (09) em um editorial que a eleição das sete novas maravilhas mundiais - entre as quais figura a estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro - foi uma "farsa em escala global". Concordo! Assisti ao “show espetáculo” onde as “maravilhas” foram reveladas. Isto é, através de votação via internet e celular. Se considerarmos que o Brasil tem 180 milhões de habitantes é claro que o Cristo Redentor teve mais chances de se eleger que Acrópole na Grécia, cuja população é bem inferior, porém o monumento Grego é bem mais importante, tanto na beleza, quanto em seu contexto histórico.
O que valeu mesmo é o show e o dinheiro que envolve todo o espetáculo, o ódio contra os americanos fez com que a estátua da liberdade ficasse de fora. Porém, pode ser considerada o símbolo deste capitalismo selvagem, dessa “liberdade globalizada”. Trata-se de um monumento importante sim, apesar de ser “americana”.
Segundo o jornal, é certo que dentro de muito pouco tempo serão organizados outros concursos para eleger as sete belezas naturais do mundo ou os onze melhores jogadores de futebol da história.

Mas fica então a pergunta: Quais são as sete maravilhas antigas?
As novas: Cristo Redentor, Muralha da China, Petra (Jordânia), Machu Picchu (Peru), Chichen Itza (México), Coliseu (Roma) e Taj Mahal (Índia). Todas eleitas via internet e celular, em uma capanha puramente comercial.
Agora as sete maravilhas antigas foram denominadas pelo historiador Heródoto (484 a.C. - cerca de 430 a.C.) e o estudioso Callímaco, de Cyrene (cerca de 310-240 a.C.), no Museu de Alexandria. Eles redigiram as primeiras listas de "sete maravilhas", mas seus escritos não sobreviveram, exceto como referências. A lista que conhecemos hoje foi compilada na Idade Média, quando muitos dos locais já não existiam mais. A lista foi baseada principalmente em escritos gregos da antiguidade, de modo que só foram incluídos locais conhecidos e visitados pelos gregos antigos.

As sete maravilhas antigas:
A Grande Pirâmide de Gizé (a única existente até hoje), construída por volta de 2650-2500 a.C. para ser o túmulo do faraó egípcio Keóps, da quarta dinastia, e ainda em pé.
Jardins Suspensos da Babilônia Os, construídos por volta de 600 a.C. Heródoto afirmava que as muralhas externas dos jardins tinham 90 quilômetros de extensão, 24 metros de espessura e 97 metros de altura. Foram destruídas por um terremoto após o século 1 a.C.

Templo de Artemis em Éfeso, construído em 550 a.C. e dedicado à deusa grega Artemis. Heróstrato queimou o templo em 356 a.C., numa tentativa de conquistar fama duradoura.
A estátua de Zeus em Olímpia, erigida em 435 a.C., com 12 metros de altura. Foi desmontada pelos governantes cristãos nos séculos 5 e 6, para desencorajar o paganismo.
O Mausoléu de Maussolos, em Halicarnasso (no que é hoje o sudeste da Turquia), construído em 351 a.C., com aproximadamente 45 metros de altura e tendo seus quatro lados adornados com altos-relevos esculturais. Deu origem à palavra "mausoléu". Danificado por um terremoto e totalmente destruído por cruzados europeus até o ano 1494 d.C.
O Colosso de Rodes, construído entre 292 e 280 a.C. Uma estátua gigantesca em bronze do deus grego Helios, mais ou menos do tamanho da Estátua da Liberdade, em Nova York. Destruído por um terremoto em 224 a.C.
O Farol de Alexandria, construído no Egito no século 3 a.C. Com altura de entre 115 e 135 metros, foi durante muitos séculos a mais alta estrutura do mundo erguida pelo homem. Destruído entre 1303 e 1480 d.C. por um terremoto.



domingo, julho 08, 2007

Poesia abstrata?


Junto com as filas ficam as filhas

Não entendo quando você entra no corredor
A luz ascende, mas não o ventilador
Olhando para o teto e o quadro
Árvores pintadas e cabeças cortadas

Não entendo quando você apagou a luz
Sorrindo com seus olhos de vidro
Caiu no chão, mas começou a andar
Olhando para o teto continuou

Não entendo quando chegou na fila
Sua sombra andava enquanto ficava parada
Dentes da frente choravam
Junto com a fila estava sua filha

Eu não entendi quando cheguei lá.

Racionais...

O que é o que é??
Clara e salgada,
cabe em um olho e pesa uma tonelada,
tem sabor de mar,pode ser discreta,
inquilina da dor,morada predileta,
na calada ela vem,refém da vingança,
irmã do desespero,rival da esperança,
pode ser causada por vermes e mundanasou pelo espinho da flor,
cruel que vc ama,
amante do drama,
vem pra minha cama,
por querer,
sem me perguntar me fez sofrer,
e eu que me julguei forte,
e eu que me senti,
serei um fraco,
quando outras delas vir,se o barato é louco e o processo é lento,
no momento,
deixa eu caminhar contra o vento,
do que adianta eu ser durão e o coração ser vulnerável,
o vento não, ele é suave, mas é frio e implacável,
(é quente) borrou a letra triste do poeta,
(só) correu no rosto pardo do profeta.
Verme sai da reta,
a lágrima de um homem vai cair,
esse é o seu B.O. pra eternidade,
diz que homem não chora,
ta bom, falou ou vai pra grupo irmão ai
JESUS CHOROU ! ! !

quarta-feira, julho 04, 2007

Aviso: De saco cheio... (Reportagem)

Caro amigo (leitor)
Estou de saco cheio de matérias de aeroportos e corrupção. Depois de tanto ver reportagens de atrasos de aviões, estou curioso sobre os atrasos dos ônibus nas rodoviárias. Oras... Ningu´´em ainda fez esta matéria. Pois então estou "pautado" a fazer esta matéria para este blog. Aguardem nos próximos dois ou três dias irei publicá-la aqui mesmo. Ficarei algumas horas no Tietê checando o tempo de espera dos ônibus para as principais capitais do país.
FRancamete, menos de 5% da população brasileira viajam de avião, vamos ver o tempo de espera na rodoviária para que possamos tirar nossas conclusões.
Até mais...

Poesia

O pescoço e os pés

Os pés andam sobre os sapatos
Um amigo meu já anda descalço
Agora, você prefere os pés no chinelo

Eu prefiro o pescoço

Ela prefere tênis amarelo
Os pés preferem as meias
Agora, você prefere sapatos sem meias

Eu prefiro o pescoço

A língua prefere a boca
As orelhas já preferem à língua
Agora, você prefere os pés

Eu prefiro o pescoço

terça-feira, julho 03, 2007

Poesia

O alimento
Perdidas debaixo da mesa
Estão as cadeiras
Perdidas nas cadeiras
Estão as pessoas
Elas sentam nas cadeiras
E ficam paradas
Mas depois se movimentam na mesa
Que também está parada
Os pratos ficam em cima da mesa
Que também ficam parados
Debaixo das cadeiras estão os pés
Que não ficam parados
Mexendo ficam as bocas
Parado estão os dentes dentro dela
Na verdade todos estão parados
No canibalismo em volta da mesa
Menos o alimento