terça-feira, dezembro 30, 2008

Eu sou o 11.257 da São Silvestre, o café e as músicas

Enfim! Sempre tive vontade, mas nunca tive coragem de me inscrever na famosa corrida de São Silvestre. Tive coragem e finalmente me inscrevi, e sou o número 11.257. Semana passada retirei meu “Kit”, onde tinha uma camiseta, instruções, um “cartão de atleta” (oh!), um chip e um pacote de café. Êpa! Café? Sim... Um pacote de café em pó (?). Não entendi, poderiam dar barras de chocolate com cereais, ou uma garrafinha de água, sei lá!

Bom... Deixando o café de lado, a minha preocupação é com a trilha sonora. Pensei em ouvir apenas heavy metal, música pesada mesmo, mas decidi em ouvir alguns álbuns que marcaram e marcam até hoje.

O primeiro álbum a entrar foi:
O passo do lui
Paralamas do Sucesso. (foi o primeiro disco que comprei)
For thouse about to RockAC/DC (foi o primeiro disco de rock que comprei)
Ride the LightingMetallica (a revolução do rock)
Hatfull of hollowSmiths (o música é inglesa)
Low LifeNew Order (simplesmente fantástico)
The Best of Stray CatsStray Cats (rock and roll puro, raiz)
IncognitoEleven (o que mais me influenciou nos últimos cinco anos)
Happyness - Groove Soul (o último CD que comprei, simplesmente fantástico)

E vamos nós aos 16km de prova! Vichhhhhhh...

quarta-feira, dezembro 24, 2008

A essencia do Natal...

Jesus...

Jesus é a essencia do Natal.

Para muitos, o Natal é simplesmente um feriado. Viagens, festas, confraternizações, etc. Mas todos se esquecem da razão desta data tão importante. Para muitos Jesus não nasceu nesta data, bom... Não importa, pois hoje comemoramos a vinda Daquele que veio à terra como salvador, filho de Deus... O próprio Deus... Ele é a razão de tudo.

Tempo de reflexão...

Feliz Natal...

terça-feira, dezembro 09, 2008

Amor engessado

Não conheço nenhum ser humano que gostaria de se machucar ou ter algum osso fraturado. Sabemos que a dor é imensa, sem falar da dor de cabeça em ir até o hospital, enfrentar filas para ser atendido e aguardar e aguardar até ser chamado pelo tal “Dr.”

Quando pivete... Lá da época do ginásio, eu vivia com arranhões, cascas de feridas pelo cotovelo e nos joelhos, mas nunca... Nunca quebrei nada! De fato, não tenho nenhum orgulho por isso. Aliás, quem se orgulhava de se machucar era o João Carlos, quando estávamos na 6ª série.

Ele tinha quebrado o pulso. E daí? Hum... A questão é que, a forma de sua narrativa como tinha se machucado, chamava atenção de todos! Era um herói. E exibia como troféu um gesso no braço esquerdo. E, o melhor é que todos escreviam ali desenjando-lhe boa recuperação, os amigos escreviam seus nomes, desenhos, pintura etc. Já as meninas... Ah! As meninas deixavam coraçõeszinhos... Beijos de baton... Inclusive os beijos de Ana Claudia. A mais bonita. Andar com os beijos das meninas no braço era algo desejado.

Certa vez jogando bola cai e senti uma enorme dor no pulso direito... Já pensei comigo: quebrou. Senti muita dor. Fui ao médico e realmente estava doendo, mas exagerava um pouco para que o médico colocasse gesso. Sonhava com o gesso no braço e as marcas de baton de Ana Claudia, Sônia, Paula... Junto com alguns desenhos radicais... Seria o herói, desfilaria como herói e o meu troféu seria o gesso, que guardaria pra toda vida.

Mas minha tristeza acabou quando o médico disse: “Foi só uma luxação. Basta fazer compressa e usar uma faixa por uma semana”.

Estes dias, ao fazer um exame médico, o “Dr.” Me pergunta: “Você já fraturou algum osso?” Respondi com firmeza: “Nunca! Graças a Deus”. Mas, juro que gostaria de ter de recordação um beijo, uma marca de baton e um gesso.

segunda-feira, dezembro 01, 2008

Teatro interativo pela internet

Recebi um e-mail da minha amiga Solange que trata de teatro. Já pensou em assistir uma peça de teatro pela internet? Algo que parece... Inusitado! Agora é realidade, trata-se do "Teatro para Alguém" é bem interessante, vale a pena conferir.